CATEGORIA GT 1/8 EP

REGULAMENTO DA CATEGORIA GT 1/8 EP

ÍNDICE

 

1 – INTRODUÇÃO…………………………………………………………………………………………………… 2

2 – CATEGORIA………………………………………………………………………………………………………. 2

3 – DATAS E CIRCUITOS…………………………………………………………………………………………. 2

4 – INSCRIÇÕES……………………………………………………………………………………………………… 2

5 – VALORES E FORMA DE PAGAMENTO……………………………………………………………….. 3

6 – REGISTRO…………………………………………………………………………………………………………. 3

7 – VISTORIA TÉCNICA…………………………………………………………………………………………… 3

8 – RÁDIOS E FREQUÊNCIAS………………………………………………………………………………….. 4

9 – SENSORES (TRANSPONDERS)…………………………………………………………………………… 4

10 – HORÁRIO DAS ATIVIDADES…………………………………………………………………………….. 5

11 – REGULAMENTAÇÃO E FORMATOS DAS CORRIDAS…………………………………………. 5

12 – PROCEDIMENTOS DAS CORRIDAS…………………………………………………………………… 7

13 – PONTUAÇÃO…………………………………………………………………………………………………….. 8

14 – OBTENÇÃO DO CAMPEÃO……………………………………………………………………………….. 9

15 – RECOLOCADORES…………………………………………………………………………………………….. 9

16 – NÃO REALIZAÇÃO DE UMA BATERIA POR MOTIVO DE FORÇA MAIOR…………….10

17 – PENALIZAÇÕES………………………………………………………………………………………………… 10

18 – PROTESTO……………………………………………………………………………………………………….. 12

19 – CANCELAMENTO DE PROVA…………………………………………………………………………… 12

19 – PREMIAÇÃO E SORTEIO DE BRINDES……………………………………………………………… 12

21 – ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS…………………………………………………………………………….. 12

22 – ORGANIZADORES E PATROCINADORES………………………………………………………….. 14

 

 

  1. INTRODUÇÃO

A Campeonato APPA 2017, categoria GT 1/8 EP será realizada em 06 (Seis) etapas, conforme o calendário oficial divulgado no website da entidade.

A organização do evento adota como principio básico a igualdade competitiva, privilegiando sempre o melhor piloto e não o melhor equipamento, promovendo o hobby e o bem estar social dos participantes.

As hipóteses não previstas neste regulamento serão decididas pelo Diretor de Prova.

Os adendos sobre situações não previstas serão regulamentados pelos membros da Comissão de Corridas, que se colocam à disposição para esclarecer eventuais dúvidas.

 

  1. CATEGORIA

2.1 – Denominada GT 1/8 EP, será disputada em categoria única.

 

  1. DATAS E CIRCUITO

3.1 – DATAS

                   1ª Etapa: 29/01/2017

                   2ª Etapa: 19/03/2017

                   3ª Etapa: 21/05/2017

                   4ª Etapa: 23/07/2017

                   5ª Etapa: 17/09/2017

6ª Etapa: 12/11/2017

3.2 CIRCUITO. Preferencialmente será utilizado o circuito completo, no sentido anti-horário, porém a Comissão Organizadora poderá alterar essa condição, mas deverá comunicar aos pilotos com pelo menos 20 dias de antecedência da etapa subsequente.

 

  1. INSCRIÇÕES

4.1 – A inscrição é pessoal e intransferível.

4.2 – As inscrições serão abertas a qualquer piloto na data do evento.

4.3 – No momento da inscrição para a primeira etapa, cada piloto receberá um jogo de números para colar na bolha, sendo eles com fundo branco, dígitos em preto com medida mínima de 45x60mm, que deverão ser colados no para-brisa e nas laterais da bolha. Esse número será do piloto durante todo campeonato. O numero 1 é reservado ao Campeão do Ano anterior.

 

  1. VALORES E FORMA DE PAGAMENTO

5.1 – PAGAMENTO ANTECIPADO (piloto inscrito até as 9:00hs): A taxa de inscrição será no valor de R$ 80,00 (Oitenta Reais).

5.2 – PAGAMENTO FORA DO PRAZO ANTECIPADO: A taxa de inscrição será no valor de R$ 90,00 (Noventa Reais).

 

  1. REGISTRO

6.1 -Todos os pilotos deverão fazer o registro do seu carro e número de sensor. O carro deve ser apresentado para registro no horário estabelecido pelo cronograma de prova.

6.2 – No momento do registro, todos os pilotos deverão preencher o formulário e termo de responsabilidade.

6.3 – Não será realizada vistoria técnica no inicio das atividades, somente será colocado o lacre no Chassi.

6.4 – É de responsabilidade do piloto estar com seu carro dentro das especificações técnicas do campeonato.

6.5 – Cada piloto poderá utilizar apenas um único chassis (plate). Não é permitido trocar de chassi durante a prova, a não ser por quebra, sendo que o chassi deverá ser da mesma marca e modelo e deve ser vistoriado e liberado pelo Diretor de Prova.

 

  1. VISTORIA TÉCNICA

7.1 – Sempre serão realizadas após o término de cada bateria (Classificatórias ou Finais). Para isso os carros deverão permanecer na pista e nenhum mecânico/piloto poderá ter acesso ao carro. O vistoriador recolherá os carros dos 1º, 2º, 3º colocados e mais um carro a ser sorteado para proceder com a vistoria técnica final.

7.2 – Todos os demais carros deverão ficar em regime de parque fechado.

7.3 – Qualquer piloto participante poderá solicitar ao Diretor de Prova uma vistoria técnica suplementar de qualquer carro. Para isso, deverá proceder da seguinte forma:

  • Pagar uma taxa no valor da inscrição da prova.
  • Estar participando do evento.
  • Preencher formulário próprio.
  • Caso não seja procedente a reclamação, o piloto solicitante arcará com os custos da vistoria em favor do dono do carro vistoriado. (Ex: inutilização de qualquer peça, pneu, roda, motor ou acessório do carro para que a vistoria seja procedida).
  • Caso seja procedente a reclamação, o Diretor de Prova desclassificará o piloto envolvido da bateria, de acordo com a gravidade do fato, e o requerente não arcará com qualquer custo da vistoria, tendo o valor pago pela taxa de vistoria reembolsada.
  • A presença dos envolvidos durante a solicitação de vistoria e julgamento é obrigatória.

7.4 – A Direção de Prova também poderá realizar vistorias técnicas dirigidas a qualquer carro durante o dia todo quando julgar necessário ou quando ocorrer significativa discrepância dos tempos comparados entre pilotos do mesmo nível. Todos os carros devem aguardar a liberação pelo Diretor de Prova ou Inspetor Técnico.

 

  1. RÁDIOS E FREQUÊNCIAS

8.1 – RADIO: O rádio poderá ser de qualquer modelo ou marca, de volante ou “sticks”, em AM, FM, PCM ou mesmo DSM, respeitada as frequências aceitas para comando de modelos de superfície. É proibido o uso de frequências 72mhz.

8.2 – FREQUÊNCIAS: Cada piloto deverá ter, obrigatoriamente, duas frequências diferentes para a inscrição, salvo os que tiverem modulação DSM.

8.3 – Em caso da ocorrência de frequências iguais durante os Heats Classificatórios, o Diretor de Prova deverá chamar os pilotos e propor a troca de frequência dentro do espírito esportivo. No caso de troca de frequência a Direção de Prova concederá 10 minutos para o piloto realizar a troca. Caso não ocorra a troca, haverá a retenção dos rádios pelo Diretor de Prova e os pilotos não participarão da bateria em questão.

8.4 – Nas provas finais a preferência absoluta é do piloto que estiver mais bem classificado no campeonato, não cabendo recurso.

 

  1. SENSORES (TRANSPONDERS)

9.1. TIPOS: Todos os pilotos utilizarão obrigatoriamente sensores próprios do tipo Personal Transponder AMBrc versão 4 ou anterior (a versão 4 não está homologada). A organização não terá sensores para alugar.

9.2. INSTALAÇÃO: Os sensores utilizados serão de total responsabilidade do piloto. Portanto é solicitado ao piloto que faça a correta instalação no carro.

 

  1. HORÁRIOS DAS ATIVIDADES

10.1. CRONOGRAMA: As atividades dos pilotos/mecânicos só poderão iniciar-se a partir das 08:00h e poderão estender-se, no máximo, até às 17:00h.

Como haverão outras categorias a serem disputadas no mesmo dia, o Cronograma será divulgado, com a antecedência de 3 dias, seguindo basicamente a seguinte programação:

  • 08:00h às 09:30h = Lacração de Chassi e Vistoria Técnica
  • 10:00h às 12:00h = Treinos Cronometrados e Classificatórios
  • 12:00h às 13:00h = Almoço e Briefing
  • 13:30h às 17:00h = Semi-finais; Finais e Premiações.

10.2. ALTERAÇÕES: Por motivos de força maior, o Diretor de Prova terá total autonomia para modificar o cronograma caso julgue necessário.

 

  1. REGULAMENTAÇÃO E FORMATOS DAS CORRIDAS

11.1 – Durante todo o dia, a pista ficará fechada para treinos/acertos individuais.

  • O não cumprimento desta regra resultará em punição pelo Diretor de Prova.

11.2 – Quantidade de Mains.

  • Até 12 pilotos – Uma Main (A).
  • Até 15 pilotos – Main A com 8 pilotos e Main B com o restante;
  • Até 20 pilotos – Main A com 10 pilotos e Main B com o restante;
  • Até 24 pilotos – Duas Mains (A e B divididas igualmente);
  • Acima de 24 pilotos – Quantas Mains forem necessárias (A, B, C… Z), com no máximo 10 ou 12 pilotos em cada, dependendo da situação.
  • Mains com até 12 pilotos só serão utilizadas quando ao formar os grupos com 10 em cada, sobrarem poucos (no máximo 4) para formar outro Grupo, conforme exemplo:

– 22 pilotos, Main A com 11, Main B com 11;

– 23 pilotos, Main A com 11, Main B com 12;

– 24 pilotos, Main A com 12, Main B com 12;

– 25 pilotos, Main A com 10, Main B com 10, Main C com 5;

– 26 pilotos, Main A com 10, Main B com 10, Main C com 6.

11.3 – Treino Livre Cronometrado

  • Somente os pilotos devidamente matriculados e com chassis lacrados poderão participar do Treino Cronometrado.
  • Cada grupo pré-selecionado (ordem de inscrição ou numeração) terá 5 minutos de Treino Cronometrado.
  • A melhor volta de cada piloto será utilizada para separação dos grupos nas Tomadas de Tempo.

11.4 – Tomada de Tempo (Qualify)

  • Duração: 5 minutos.
  • Serão realizadas 2 (duas) tomadas de tempo classificatórias, valendo a melhor tomada de cada piloto.
  • Ordem de Largada:

– A ordem de largada da primeira tomada (Q1) será dada a partir do resultado do Treino Livre Cronometrado;

– A Ordem de largada da segunda tomada (Q2) será dada a partir do resultado da primeira tomada (Q1);

  • Os Grupos formados para o Q1 a partir do Treino Livre Cronometrado serão os mesmos durante todos os rounds classificatórios.
  • Durante as Tomadas Classificatórias todos os pilotos, independente do Grupo, disputam entre si, pelo melhor índice técnico.
  • Ao final de cada Rodada Classificatória será impresso uma lista com o melhor resultado de todos os N pilotos naquela rodada. E ao final de todos os rounds, uma lista será gerada a partir do melhor tempo de cada piloto, para assim definir o TQ (Top Qualifier) e as Main para as Finais.

11.5 – Finais

  • Duração: 5 minutos.
  • As Main serão definidas a partir do resultado das Tomadas Classificatórias, seguindo o critério citado no Item 11.4.
  • Serão 3 Finais valendo pontos, distribuídos em cada Main da seguinte forma:

– 1º colocado – 1 ponto

– 2º colocado – 2 pontos

– 3º colocado – 3 pontos

– 4º colocado – 4 pontos

– 5º colocado – 5 pontos

– 6º colocado – 6 pontos

– 7º colocado – 7 pontos

– 8º colocado – 8 pontos

– 9º colocado – 9 pontos

– 10º colocado – 10 pontos

  • A ordem de largada será a mesma para todas as Finais, obtida através da Tomada de Tempo.

11.6 – Resultados

  • Será considerado o campeão da ETAPA aquele que somar menos pontos na Main A.
  • Ao final das 3 Finais, cada piloto contará com seus 2 (dois) melhores resultados, ou seja, descarta o pior resultado.
  • Caso seja possível realizar somente 2 (duas) Finais, valerá somente a melhor, ou seja, o piloto descarta o pior resultado.
  • Caso seja possível realizar somente 1 (uma), esta valerá como resultado Final.
  • Caso não seja possível realizar nenhuma Final, o resultado será o obtido através das Tomadas de Tempo.
  • Os pilotos da Main A disputarão os primeiros lugares (Main A com 8, disputam de 1º a 8º lugares; Main A com 10, de 1º ao 10º lugares; Main A com 12, de 1º ao 12º lugares). A Main B, C e demais, disputarão as demais posições.

11.7 – Empate

  • Em caso de empate, nas tomadas de tempo, a tomada descartada será considerada como critério de desempate;.
  • Em caso de empate ao termino da etapa, será considerado primeiro o descarte das Finais, e em seguida, o resultado da Tomada de Tempo.

 

  1. PROCEDIMENTOS DAS CORRIDAS

12.1 – Largada

  • No Treino Livre Cronometrado, o Diretor de Prova chamará os pilotos participantes que terão 5 minutos para treinar, e ao mesmo tempo, fazer a melhor volta que valerá para a separação nas Tomadas.
  • Nas Tomadas de Tempo, o Diretor de Prova autorizará a largar cada piloto nominalmente, largando dos Boxes.
  • Nas Finais, o Diretor de Prova fará uma contagem regressiva iniciada em 10 e o chegar a quatro os carros deverão ser colocados no chão pelos mecânicos e estes deverão se afastar para fora da pista.

 

  • Os pilotos aguardarão o “start” do Diretor de Prova nos próximos segundos para a

largada. Os carros largarão da pista, na formação do grid.

 

 

12.2 – Vistoria

  • Ao final de cada prova (Tomadas e Finais) todos os carros devem permanecer na pista para vistoria técnica. O vistoriador recolherá os carros dos 1º, 2º e 3º colocados, mais um carro a ser sorteado para proceder a vistoria técnica final.
  • Todos os demais carros deverão ficar em regime de parque fechado.
  • O piloto deverá aguardar a liberação pelo diretor de prova. O piloto que retirar o carro antes do tempo determinado será desclassificado.

 

  • A Direção de Prova poderá efetuar uma vistoria técnica a qualquer carro durante o dia todo. Seja em Tomadas de Tempo ou Finais. Todos os carros e os pilotos/mecânico devem aguardar a liberação pelo diretor de prova ou inspetor técnico. Todos os pilotos que tiverem seus carros vistoriados podem acompanhar a vistoria técnica.

12.3 – Solicitação de Tempo

  • Não é permitida a solicitação de tempo.

 

  1. PONTUAÇÃO

13.1 – Será atribuída a seguinte pontuação aos pilotos participantes:

  • Pole Position/Top Qualifier (TQ) = 1 Ponto Extra;
  • Pontos para posições finais da Corrida:

– 1º lugar = 50 pontos.

– 2º lugar = 46 pontos.

– 3º lugar = 42 pontos.

– 4º lugar = 38 pontos.

– 5º lugar = 34 pontos.

– 6º lugar = 32 pontos.

– 7º lugar = 30 pontos.

– 8º lugar = 28 pontos.

– 9º lugar = 26 pontos.

– 10º lugar = 24 pontos.

– 11º lugar = 22 pontos.

– 12º lugar = 21 pontos.

– 13º em diante seguindo a diferença de 01 ponto.

13.2 – DQ = DESQUALIFICADO: O Piloto fica desqualificado do Round Classificatório ou Final em que estiver participando, e não poderá utilizar a mesma como descarte.

13.3 – DC = DESCLASSIFICADO: O piloto fica desclassificado e consequentemente eliminado da prova, perdendo os pontos adquiridos na Etapa e não pode utilizar como descarte.

 

13.4 – Piloto Inscrito e não participante, receberá a pontuação equivalente a posição logo abaixo do ultimo colocado da Prova. (em caso de dois ou mais pilotos inscritos e não participantes estes receberão a mesma pontuação)

 

14 -OBTENÇÃO DO CAMPEÃO

14.1 – O critério de classificação será a soma dos pontos conquistados em todas as etapas disputadas pelo piloto, descartando-se o seu pior resultado.

14.2 – Será considerado “CAMPEÃO GT 1/8 EP 2017”, o piloto que obtiver a maior soma de pontos.

14.3 – Em caso de empate entre pilotos no resultado final do campeonato, o critério de desempate será pela ordem:

  • Pontuação total sem descarte;
  • Maior quantidade de Vitorias;
  • Maior quantidade de Poles;
  • Persistindo o empate, será sorteado o campeão por método aprovado pelo Conselho.

14.4 – Se o piloto não compareceu à etapa, a mesma só poderá ser considerada como “descarte” se o piloto fez o pagamento da inscrição, desta forma, o piloto pontuará como último colocado (item 13.4).

14.5 – Se o piloto não compareceu e não pagou a inscrição, ele receberá 0 (zero) pontos e não poderá considerar esse resultado como descarte.

  1. RECOLOCADORES

15.1 – Os recolocadores são responsáveis pela reposição correta dos automodelos na pista. Em caso de quebra ou pane dos automodelos o recolocador deverá levar o mesmo ate a área de Box e deixar o automodelo no local determinados pelos fiscais de box. Não é permitida qualquer intervenção mecânica por parte dos recolocadores.

15.2 – Os pilotos farão o revezamento através do seguinte critério:

  • Durante as tomadas de tempo, os pilotos do ultimo grupo serão os recolocadores do primeiro grupo, e assim por diante. Ou seja, assim que o piloto descer do palanque no final de seu heat, ele será recolocador no próximo heat.

 

15.3 – Os pilotos que estiverem incapacitados de fazer o serviço de recolocador deverão obrigatoriamente indicar outra pessoa para ocupar o seu lugar.

15.4 – Os pilotos que não cumprirem esta determinação serão penalizados conforme descrito abaixo:

  • Durante as Tomadas de tempo, o piloto convocado que não participar ou não indicar substituto do serviço de recolocador será punido com 1 (uma) volta a menos em cada tomada de tempo. Em caso de reincidência o piloto perderá na sua totalidade as suas tomadas de tempo ficando com a última posição do grid em sua subfinal, não cabendo nenhum recurso.
  • Nas fases Sub-Finais e Finais o piloto que não prestar o serviço de recolocador será desclassificado do evento.
  1. NÃO REALIZAÇÃO DE UMA BATERIA POR MOTIVOS DE FORÇA MAIOR

16.1 – CHUVA. Em caso de chuva, uma prova é considerada completa desde que tenham sido realizadas as tomadas de tempo. A posição geral da Etapa será então a mesma obtida nas Tomadas de Tempo.

16.2 – Caso ocorra chuva antes do início das atividades, deverá ser aguardado o horário limite de 11h00 para cessar a chuva e dar continuidade à competição.

16.3 – Na impossibilidade de realizar as tomadas de tempo, provas subfinais e final. A Etapa será declarada encerrada e todos os participantes receberão pontos de 11º lugar e poderão utilizar a etapa como descarte.

16.4 – Caso ocorra chuva durante a competição, caberá ao Diretor de Prova a observância dos princípios de igualdade de condições para todos os pilotos e a decisão de interromper a corrida.

16.5 – Chuva nas tomadas de tempo:

  • No caso de interrupção de uma tomada de tempo em virtude da chuva, todos os tempos da mesma bateria que se interrompeu serão cancelados, a fim de preservar a igualdade de condições.

16.6 – No caso da impossibilidade de se realizar a prova final, será considerado como resultado final, a classificação das tomadas de tempo.

16.7 – Chuva nas provas Finais:

  • No caso de interrupção de um heat em virtude da chuva, todos os tempos da mesma bateria que se interrompeu serão cancelados, a fim de preservar a igualdade de condições.
  • Aguardar 60 minutos e se houver condições, reiniciar a corrida com o mesmo “grid” anterior.
  • Se após 60 minutos não tiver condições para continuar, a prova será encerrada.

16.8 – PANES NO SISTEMA DE CRONOMETRAGEM. Serão adotados os mesmos procedimentos para o caso de chuva.

  • Caberá à Organização da Prova a decisão final.
  • Em todas as situações em que ocorrer a interrupção por motivos de pane no sistema de cronometragem, seja nas tomada de tempo ou prova final, os carros deverão ficar em parque fechado, ate a liberação por parte do diretor de prova para reinicio imediato das atividades.

16.9 – OUTRAS SITUAÇÕES: Para as demais situações não previstas neste regulamento caberá ao Diretor de Prova determinar o procedimento a ser adotado.

 

  1. PENALIZAÇÕES

17.1 – REGRAS GERAIS: As penalizações serão aplicadas, pelo Diretor de Prova, aos pilotos ou membros de sua equipe que cometerem faltas leves, médias, graves e gravíssimas previstas neste Regulamento. Salvo as penalizações que não cabem recurso, todas as demais caberão recurso, em formulário próprio, dirigido à Organização, resguardando assim o princípio da ampla defesa. As penalizações serão divididas em:

17.2 – ADVERTÊNCIA VERBAL: O Diretor de Prova comunicará a penalização da seguinte forma: “Piloto XXX, você esta sendo advertido verbalmente por XXXX”. Enquadra-se nessa categoria de penalização as faltas leves cometidas, que não interfiram na performance dos pilotos adversários.

Exemplos:

  • Obstruir, sem insistência, a passagem de piloto mais rápido sem prejudicar o adversário;
  • Tocar um carro adversário de maneira brusca, sem que o mesmo perca sua posição.

17.3 – STOP AND GO: O Diretor de Prova comunicará a penalização da seguinte forma: “Piloto XXX, “Stop and Go”, você está sendo penalizado por XXXX”. Enquadra-se nessa categoria de penalização as faltas médias cometidas, que interfiram na performance dos pilotos adversários.

Exemplos:

  • Piloto retardatário obstruir, com insistência, a passagem de piloto mais rápido prejudicando o adversário;
  • Usar termos de baixo calão (tanto o piloto quanto integrante de sua equipe);
  • Tocar um carro adversário de maneira brusca, acarretando a perda de posição do outro piloto;
  • Ao receber 2 (duas) “advertências verbais” no mesmo dia da corrida;
  • Falta de condições técnicas do equipamento e/ou pilotagem de forma a causar prejuízos (acidentes graves) aos demais pilotos;
  • Queima de largada (qualquer movimentação do carro antes da autorização de largada);
  • Parar os carros com os pés;
  • Realizar reparos na pista.

17.3.1 – O piloto penalizado terá três voltas para cumprir o Stop and Go. Caso falte menos de três voltas para o termino da prova, e o piloto não cumpriu sua penalização, o piloto terá diminuída 1 (uma) volta de seu total de voltas completadas até o momento, sem direito a recurso.

17.3.2 – O piloto deverá entrar pela pista de rolagem dos boxes, parar completamente o carro no Box em frente à torre de cronometragem e retornar pela área do Box até a pista novamente após autorização do Diretor de Prova. Durante o Stop and Go, ninguém poderá fazer nenhum reparo no carro.

17.4 – DESCLASSIFICAÇÃO: O Diretor de Prova comunicará a penalização da seguinte forma: “Piloto XXX, você está sendo desclassificado desta bateria por XXXX”. Enquadra-se nessa categoria de penalização as faltas graves cometidas. Exemplos:

  • Deixar de apresentar o veículo quando solicitado para a vistoria após os Heats Classificatórios e Finais;
  • Ao receber 3 (três) “stop and go” no mesmo dia de corrida;
  • Retirar o carro da pista ao término de qualquer bateria sem antes estar liberado pelo vistoriador;
  • Insistir em manter o carro com algum problema técnico após solicitação de parada pelo Diretor de Prova (Ex.: pneu rasgado ou descolado que interfira na estabilidade do carro, etc) na pista, colocando em risco a posição dos pilotos adversários;
  • Passar o sensor na antena de captação do sinal;
  • Estar com o carro fora das Especificações Técnicas;
  • Não pagamento da taxa de inscrição do Campeonato;
  • Nos casos de agressões verbais descontroladas;
  • Nos casos de condutas irregulares intencionais e atitude antidesportiva durante o campeonato, como por exemplo: esperar deliberadamente por outro carro na pista, concedendo sua posição;
  • Nos casos de fraude intencional do regulamento (ex: troca de chassis sem permissão da Direção de Prova, troca de pilotos durante o evento);
  • Nos casos de agressões físicas.

 

  1. PROTESTO

18.1 – REGRAS GERAIS: Qualquer piloto poderá, através de formulário próprio, protestar condutas de outros pilotos ou até mesmo da Direção de Prova.

18.2 – PROCEDIMENTOS: Somente será aceito o protesto por escrito, com formulário apropriado e encaminhado em mãos ao Diretor de Prova. O piloto terá o prazo de 10 minutos após o término da bateria em questão para encaminhamento do protesto.

18.3 – Todo protesto será respondido por escrito.

 

  1. CANCELAMENTO DE PROVA

No caso de uma etapa ser cancelada, seja por número insuficiente de pilotos, ou qualquer outra razão, todos os participantes receberão pontos de 11º lugar e poderão utilizar a etapa como descarte.

 

  1. PREMIAÇÃO E SORTEIOS DE BRINDES

20.1 – PREMIAÇÕES: Os 3 (três) primeiros colocados serão premiados.

20.2 – SORTEIOS: Ao final do evento, caso seja possível, serão sorteados brindes fornecidos pelos patrocinadores a todos os pilotos inscritos.

 

  1. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

21.1. CHASSIS: Os Chassis permitidos consistem em carros GT, escala 1/7 ou 1/8, com tração cardã 4X4.

21.2 – BOLHAS: É obrigatório o uso de carroceria GT, de qualquer marca e modelo, que siga as descrições abaixo:

  • A bolha deverá ser fabricada com material flexível e deverá ser devidamente pintada;
  • Somente bolhas tipo Grand Turismo, 2 ou 4 portas serão permitidas;
  • Todas as janelas devem ser totalmente transparentes sem qualquer pintura;
  • Faróis, lanternas, grades, tomadas de ar e janelas devem contrastar com a pintura do modelo;
  • O único apêndice aerodinâmico permitido é o aerofólio. A pintura do aerofólio é opcional;
  • O excesso de asa não deve ser maior que 10mm tendo como medida os dois pontos extremos da bolha e asa.
  • Pequenos furos para antena de rádio e postes poderão ser feitos.

 

  • Nenhum outro furo é permitido;
  • Os para-choques dianteiros devem seguir o contorno da carroceria e deve ser instalado para minimizar danos. Os para-choques deverão ser fabricados com espuma ou algum material plástico flexível;

 

  • Nenhuma parte do carro, exceto postes de fixação da bolha e tubo de antena, poderá sair da bolha;
  • Santo-Antônio deverá ficar por dentro da carroceria;
  • Não é permitido qualquer acessório aerodinâmico de qualquer natureza sob a carroceria.

21.3 – PNEUS:

  • Somente será permitido o uso de pneus de borracha pretos, da marca Alpha. A densidade do pneu fica liberada a critério de cada piloto.

 

  • Largura da roda máxima permitida 40mm

 

  • É proibido o uso de pneus de espuma..

 

21.4 – MOTORES: Somente serão aceitos motores tipo Brushless homologados pela direção, com limite máximo de 2.650kv.

21.5 – ESC E ELETRÔNICA: Serão permitidos apenas ESC eletrônicos com ou sem ponto dinâmico.

  • Caso o ESC possua a função “marcha ré”, deverá estar desabilitada.
  • Os ajustes de Timming e Turbo do ESC estão proibidos. Caso o ESC seja sensorado, esses ajustes devem estar “ZERADOS”, ou preferencialmente o mesmo deve estar com o cabo do sensor “DESCONECTADO”.

 

  • O carro deverá conter apenas 1 (um) servo, que poderá ser digital ou analógico de qualquer marca ou modelo.

21.6 – PESO: Todos os modelos deverão ter no mínimo 3.750 gramas com toda eletrônica embarcada, bolha e transponder. Carro pronto para corrida.

21.7 – TRANSMISSÃO: Permitido Chassis de tração 4X4 por cardã.

21.8 – BATERIAS: Somente serão permitidas baterias do tipo LiPo 4S de 14.8V nominal com hardcase e com capacidade máxima livre. Obrigatório o uso de LiPo Safe para carregar as baterias.

21.9 – TELEMETRIA: Não é permitido o uso de qualquer dispositivo eletrônico, exceto os seguintes:

  • Dois canais do receptor que serão usados para operar direção, acelerador e freio.
  • Quaisquer sistemas de gravação de dados poderão ser usados somente até o final dos treinos livres.
  • O uso de dispositivos de controle de tração, suspensão ativa e quaisquer controles de direção auxiliados por giroscópio/ sensor de força G é estritamente proibido.
  • São permitidos somente sensores para coleta de dados e não para ajuste da performance do carro em movimento.

 

  1. ORGANIZADORES E PATROCINADORES

22.1.   • Organização: APPA – Associação Paulista de Pilotos de Automodelismo.

  • A Comissão de Corrida e o Diretor de Prova serão definidos com divulgação no dia do evento.